Metodologias · Sem categoria

Sala de Guerra

Sabem aquelas coisas que a gente lê nos livros sobre Metodologia, Reuniões, Daily, Planning, Scrum, Kanban, Team Foundation Server, Microsoft Test Manager? Estudando sobre tudo isso sempre me perguntei, onde estão essas empresas que fazem tudo isso? Porque é tão lindo ver tudo isso nos livros mas como será que é tudo funcionando redondinho, certinho?

Enfim, estou em uma empresa com tudo isso junto e misturado. Estou igual pintinho no lixo, achando o máximo e adorando cada minuto. E, lendo sobre MVP (Minimum Viable Product), o livro do Paulo Caroli que chama “Direto ao Ponto”, eis que me colocaram em uma Sala de Guerra por 2 semanas!! Pensa numa pessoa feliz? haha

Hoje foi o primeiro dia na Sala de Guerra, confesso que sai zonza de tanta informação mas, muito feliz por participar de uma atividade que poucos lugares fazem e que eu acredito ser muito produtiva.

O que é?

Muito resumidamente é uma técnica para criar produtos de uma forma bem enxuta. O P.O. escolhe funcionalidades que deseja discutir e prioriza o Backlog. Essas funcionalidades passam por um Kanban e todos ao final precisam dar um OK para que a história esteja pronta para desenvolvimento.

Quem participa?

Pessoas-chave que respondem pelo projeto. Líderes de negócio, P.O., Desenvolvedores Back-end e Front-end, QA, Área comercial, Designer de UI/UX, alguém de Projetos para liderar a dinâmica.

O local

O nome do local onde essas atividades são feitas é “Sala de Guerra”, porque ficamos enclausurados, focados, sem interrupções externas, com o objetivo de estressar regras de negócio, testes, serviços, soluções técnicas, identificar impedimentos, etc.

Qual o papel do QA nesta Sala de Guerra?

Imaginem que todas as suas dúvidas serão respondidas, porque todas as pessoas envolvidas de todas as áreas estão nesta sala para isso! Que todos aqueles assombros do projeto você vai ter oportunidade de conhecer. Claro! Tudo dentro das features escolhidas. Toda apresentação de uma feature é muito bem explicada e estressada nas regras de negócio, critérios de aceitação, entradas, saídas, etc. Enfim, é a hora de sanar todas as suas dúvidas sobre as features escolhidas e, pedir tudo o que tem direito para os seus testes serem melhores. Além de pedir meus critérios de aceite, eu pedi para avaliarem qual parte da tela tem maior valor para a automação (emitir boleto bancário, por exemplo).

É muito divertido porque você entende por exemplo, porque aquela feature que pra você não tem sentido ser priorizada, o porquê dela ter sido priorizada, por causa da área comercial por exemplo.

Diria que é difícil, mas não impossível, sair desta sala com dúvidas ou com alguma pendência.

Resultado da Sala de Guerra

Depois de tudo muito bem discutido, é colocado em um Canvas MVP tudo o que foi definido. Um quadro que mostra quais são as Personas & Plataformas usadas, Jornadas de Usuário, a Visão do MVP, Funcionalidades, Custo & Cronograma, Resultado Esperado e Métricas para validar as hipóteses de negócio.

canvas mvp

Já participou de uma Sala de Guerra? Conte a sua experiência, o que achou desse modelo?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s